De volta para casa e uma saudade que nao adormece nunca



Você disse que eu sou louca enquanto eu calçava meus coturnos e procurava minha meia perdida.
Eu devo ser mesmo, peguei um avião e depois um ônibus e deitei nos braços de um cara que eu nunca vi.

Eu sou louca, tenho certeza disso. Muito louca. Eu quis acreditar no que ninguém mais acredita, eu quis fazer o que ninguém mais faz.

Enquanto você estava no trabalho preocupado  se eu tocaria fogo no apartamento ou não, te escrevi um poema, nossa eu não deveria ter escrito, vocês não gostam de poemas, vocês precisam que as garotas não queiram vocês pra vocês quererem a gente.

Mas já estava tão óbvio que eu te queria, que poema não faria mal.
Eu odeio minha letra
Eu odeio muitas vezes o que escrevo

Gastei uma árvore quase inteira pra achar a melhor letra e te dizer pouca coisa, mas queria dizer mais.
Eu sou louca e você prepara nosso café da manhã. Você fez uma geleia incrível, nossa era tão boa. Adorava olhar sua cueca azul, suas tatuagens minha faziam delirar, enquanto eu falava da minha vida e você não queria ajuda na cozinha.

Você tinha de trabalhar. Eu tinha de pegar o ônibus e partir pra nunca mais voltar. (Mas eu queria)
Minha boca ainda cheirava a vinho e meu corpo tinha seu cheiro. Foi extremamente difícil largar o travesseiro.

Eu reclamei da marcas que você deixou. Mas que culpa a gente tinha se foi tão intenso nosso amor?
Eu o perdôo com beijos, com abraços...eu já te perdoei até antes mesmo antes de você pedir perdão.
Temos de ir... fotógrafo mais uma vez na memória seu apartamento, seu jeito, seu pêlos, seu sorriso, a roupa que usava, as coisas que falava.

Era tão extraordinário te ver sorrir, era como se eu sorrisse também, e de certa forma algo em mim estava feliz.

O caminho para casa é tão difícil.
Nossa, dessa vez eu largava tudo, eu não pensaria uma vez. Eu estava com homem da minha vida, o cara que sempre sonhei.

Eu não queria descer do carro, eu não queria comprar a passagem.
Nos beijamos e dizemos adeus.

Algo no fundo me dizia que era o fim, porque mais um vez eu me entreguei demais.
Eu quis chorar no ônibus. Segurei as lágrimas e escutei as músicas que ouvíamos enquanto você preparava uma pizza, lembro que ajudei jogando azeitonas por cima.

A gente adorava azeitonas, talvez tenha sido a pizza com mais azeitonas do universo. A gente adorava vinho também e usou para acompanhar a pizza, a gente adorava cerveja então bebeu também, e depois uma bebida forte que não lembro. A gente adorava rock também, eu os mais fracos e você os mais pesados, mas a gente adorava tanta coisa em comum que eu ficava extasiada enquanto Kurt Cobain tocava e você me beijava.

Eu disse que não queria ficar bêbada, que minhas ressacas eram terríveis. Mas  na verdade, ao lado dele eu não precisava de bebidas, comidas ou algo do tipo. Eu só precisava dele olhando para mim, sempre prestativo, sempre ele, sempre extremamente lindo.

Eu não sei por que raios eu quis escutar Alana Del Rey, talvez por ser mórbida e sexy ao mesmo tempo. Você deve ter odiado eu sei. Mas a altura que estávamos a musica era o que menos importava.
Meu sono foi conturbado, eu sempre sofrendo por antecipação. Você acordou e mais uma vez escovou os dentes para dá bom dia. Eu pouco me importava com isso, eu só queria que a gente morasse naquela cama eternamente.

O ônibus chegou ao destino, eu queria voltar correndo. Depois o avião estava nas nuvens, eu morro de medo de andar de avião e você também, mais alguma coisa em comum.
Socorro. Se o avião caísse aquela noite você era tudo que eu pensava.

Eu estava completamente fodida e perdidamente apaixonada.

Elen Abreu

Você não é só um cão









Minha vida é muito pesada
Você não é só um cão
E eu quero morrer sozinha a falta que você me faz
Eu fui fraca
Sim
Eu não soube e não quis dizer adeus

Você é tudo que eu pensava enquanto eu buscava uma forma te me suportar e te suportar
O sangue é tão pouco e eu sou tão creatina
Você navega nas nuvens e eu jamais vou me perdoar
Você dói tanto que o diabo existe e nada tem perdão

Se eu pudesse errar seria tudo tão exatamente igual que o temido Deus pediria liçenca.
Desculpa se fui fraca
Desculpa se fui só uma menina entre seu brinquedo e seu medo de pedir perdão
Eu era um lixo e você não merecia

Mas a vida é tão injusta, e de alguma forma quero sangrar sozinha.
Ninguém vai entender
Ninguém vai me abraçar e dizer que tudo ficará bem, enquanto eu morro no nosso frio.
As pílulas e cortes são realidades enquanto eu volto sozinha

Você não volta e eu volto sozinha

Eu acordei espetando a morte e me sinto sozinha.
Será se vc poderia me abraçar?
Me proteger do frio?
Você dói tanto que quero achar a primeira ponte.

Desculpa se não pude te cuidar
Perdão. Eu quero curar a falta e fraqueza que você me faz..
Enquanto você morria eu bebia vinho e sangrava pouco...
Isso é tão fugaz
Nada
Extremamente nada superará a dor que você me faz.

Eu não queria acordar e foi tudo tão real e um lixo.
Eu queria viver, mas morri desde do dia da possibilidade de você não existir
Estou me matando aos poucos e ninguém entende.

Eu ando na contramão e você queima.
Eu só só uma garota querendo sentir dor de outra forma.
Você me perdoa?

Pink Floyd toca e nada me alivia. Visto sua blusa e nada me conforta.
Será se eu escolhi o nome errado???
Eu queria que você não existisse.

Visto a camisa degradada da lavagem e me visto de você.
Ninguém voltará...nem você.

Eu sou um lixo de mãe e você um menino brincalhão e forte.
Talvez você esteja em um lugar melhor... enquanto sou um lixo ambulante.
Meus cortes são fraqueza e eu só queria morrer com você.

Nada mais faz sentido, tudo está perdido entre a bola e a escuridão.
Eu amava você.
Você é meu garoto e não voltou pra casa.
Pq vc era tão difícil????
Eu amava você.

Elen Abreu

Garoto fuja!




Ficamos parados
Mas você me olhava
Gostou de mim de cara, mas eu não percebi.
Você é difícil, eu também.

Nós  não tínhamos muito o que dizer. Você apenas me olhou com aqueles olhos que falam, olhos loucos que eu já adoro.
Disse que eu era uma boa garota, que eu deveria sorrir sempre.
Você me tratou como toda mulher deveria ser tratada, mesmo com meus cabelos bagunçados, minha boca borrada de vinho, meus passos não tão firmes, meus olhos que denunciam, meu estilo nada princesa.

Você viu a mulher que eu era,
Você não teve medo, eu tirei seu medo, eu te levei comigo, também não tive medo.
Vamos por favor, vamos comigo? Você segurando minha mão eu não respondo por mim... Você disse que iria comigo até  Saturno.
Tivemos nosso Saturno, ao som dos grilos, ventos e aquelas músicas que a gente só escuta pra se divertir.

Você estava com uma mulher, com uma mulher...aos seus olhos tão indomável, tão dela...mas ao mesmo tempo tão fácil se ser sua.

Lembro da escuridão, do nosso beijo, da nossa dança...
Você não me largou, era tão louco, tão feroz, feito eu.
Você me decifrou em poucos segundos, como quase ninguém é assim.
Me traduziu, me acertou, me aceitou..

Garoto FUJA! Eu tenho problemas mentais, tipo aqueles de não largar sua boca, sua cintura.
Garoto FUJA! Vamos descer o rio, vamos acampar, vamos naquele barzinho fulero de cerveja barata.
Garoto FUJA! Aqui em casa tenho vinho, eu posso fazer algo pra gente, se prometer me admirar daquele jeito, se prometer me roubar beijos.
Garoto FUJA! Minhas pernas ainda doem de tanto entrelaçar nas suas.

Você me protegeu do frio, você me protegeu de mim....
Você fez de um dia uma doce e pequena eternidade.
Prometo ser o colírio dos seus olhos, te deixo tirar minha pele de recordação.
Adoro seu cheiro, seus puxões de cabelo.

Eu vou andando...andando e volto para você. Vestindo sua camisa preta que agora é minha.
Vamos dançar ao som de The Doors, vamos pirar com Janis Joplin.
Garoto FUJA! Eu vou atrás de você.

Elen Abreu

Estou presa em mim





Estou presa em mim
Não sei sair
Não tem mais espaço aqui
Sou chuva, sono, escuridão, caos.
Sou a intensidade que me mastiga e apunhala, não sou para todos, sou para poucos.

Você não me ver, você ver o que eu pareço ser.
Você não quer me ouvir
Será se você sabe mesmo se sei sorrir?
Você quer minha mentira e eu não sei mentir.

Registros na casa, meus pensamentos que não param, minhas pernas que balançam.
Minha desgraça que não construí, minha fuga que não chega a lugar algum.

A vida é competição de facadas, mas não tenho armas.
Não sou fraca, sei lutar. Tenho outros métodos para aguentar. Não sou de ferro, as vezes posso chorar.
Estou presa, asas da minha liberdade não me deixam voar, apesar deu andar solta por aí.

Eu sei você não entende, é só mais uma doida, sem jeito, sem rumo.
Te julgam, mas não te escutam.
Quem hoje em dia quer conversar?
Você conta nos dedos com quantos você pode andar.

Não se discuti mais gostos, cores, filmes, música, política, lua, estrelas, universos, ets, medos, desafios, angústias, pétalas...
É tudo tão superficial e minha pior qualidade é pisar fundo.

Eu quero segurar tua mão, olhar o rio, discutir sobre as árvores, admirar o barulho dos pássaros...
Tomar um vinho no seu colo enquanto nossas roupas ficam borradas do nosso afago e cheiro, enquanto nossas almas estão presas nos nossos olhos explosivos.

Eu engoli tuas palavras e me feri, eu engoli minhas palavras e me engasguei...

Será se acreditei? Ou quis acreditar?
Estou presa, não consigo me soltar
Me liberta, me leva...me aceita.
Me tira de mim.

Elen Abreu



A ponto que teu pior defeito se torne uma qualidade para mim.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...